terça-feira, 26 de junho de 2012

REPORTAGEM MATA ATLÂNTICA

Mata Atlântica perdeu 88% da área original, diz IBGE

Bioma é o mais devastado do País; desmatamento do cerrado chega a 49,1%, apontam dados

18 de junho de 2012 | 10h 00

Luciana Nunes Leal e Vinícius Neder - O Estado de S. Paulo
A dois dias do início da cúpula da Rio+20, em que mais de cem chefes de Estado discutirão o futuro do planeta, o IBGE divulgou nesta segunda-feira, 18, a pesquisa Indicadores de Desenvolvimento Sustentável 2012. Entre outros dados, traça o retrato do desmatamento no País. Pela primeira vez o IBGE apresenta os dados de devastação de todo o território, para além da Amazônia.
Os indicadores revelam que estão preservados apenas 12% da área original da Mata Atlântica, o bioma mais devastado do País. De 1,8 milhão km², sobraram 149,7 mil km². A área desmatada chega a 1,13 milhão km² (88% do original) _ quase o Estado do Pará e mais que toda a região Sudeste. Os dados se referem ao ano de 2010. Depois da Mata Atlântica, o Pampa gaúcho é o mais desmatado: perdeu 54% de sua área original, de 177,7 mil km² até 2009.
A devastação do Cerrado, segundo maior bioma do País, chegou a 49,1% em 2010. Na edição anterior dos IDS, divulgada há dois anos, o IBGE havia apontado devastação de 48,37% do Cerrado. Em dois anos, foram desmatados 52,3 mil km² _ quase o Estado do Rio Grande do Norte.
A caatinga perdeu 45,6% de seus 826,4 mil km² originais. O Pantanal é o menor e mais preservado bioma: perdeu 15% da área total de 150,4 mil km². As informações referem-se a 2009.
O IBGE apresentou os índices de desmatamento de todos os biomas extra-amazônicos, já que a Amazônia tem um monitoramento específico, mais antigo e mais detalhado.
Biomas são territórios com ecossistemas homogêneos em relação à vegetação, ao solo, ao clima, à fauna e à flora. O Brasil é dividido em seis biomas. A pesquisa do IBGE chama atenção para o fato de que o desmatamento, além dos danos ao solo, aos recursos hídricos e às espécies de fauna e flora, aumenta as emissões de gás carbônico na atmosfera.
"O monitoramento dos biomas brasileiros torna-se indispensável não só para sua preservação como para qualquer tipo de intervenção ou lei que pretenda regular o uso dos recursos naturais no Brasil. A partir dos levantamentos de desmatamentos e áreas remanescentes, o Brasil saberá onde estão as áreas que precisam ser recuperadas e as que poderão servir às atividades econômicas, sem abertura de novas áreas", diz o estudo.
Por ser o bioma mais devastado, a Mata Atlântica também tem o maior número de espécies da fauna extintas ou ameaçadas de extinção: cerca de 260. No total, o IBGE apontou nove espécies extintas, 122 espécies criticamente em perigo, 166 em perigo e 330 vulneráveis.

CURIOSIDADES CAATINGA!

Muito interessante! Vale a pena assistir!

CAATINGA

FORMAÇÕES VEGETAIS DO BRASIL

Observe abaixo o mapa dos ecossistemas do Brasil:
Fonte:http://educacao.uol.com.br


BRASIL:
1) FORMAÇÃO FLORESTAL (ARBÓREA)
2) FORMAÇÃO NÃO FLORESTAL (ARBUSTIVO-HERBÁCEO)
3) FORMAÇÃO COMPLEXA E VEGETAÇÃO LITORÂNEA

1) FORMAÇÕES FLORESTAIS
A) Floresta Amazônica
  • Maior biodiversidade do planeta.
  • Maior floresta do mundo.
  • Presença de árvores de grande porte, situadas bem próximas umas das outras.
  • Clima quente e úmido.
  • Latifoliadas (folhas largas e abertas)
  • Ocupa cerca de 40% do território nacional.
       Fonte: http://geografianovest.blogspot.com.br

B) Mata Atlântica
  • Estende-se do Piauí ao Rio Grande do Sul.
  • Um dos mais ricos biomas em espécie de flora e fauna.
  • Atualmente, possui 12% de área original. (segundo IBGE/2010)  
                                                      Fonte: http://www.estadao.com.br

C) Mata de Cocais
  • Zona de Transição entre a Amazônia úmida e as terras semiáridas do Nordeste brasileiro.
  • Solos secos e florestas dominadas por palmeiras (Carnaúba e Babaçu, principalmente.)

Babaçu                                                                         Carnaúba


             Fonte: http://profsushi.blogspot.com.br





D) Mata de Araucária
  • Típico de clima subtropical.
  • presente na região sul do Brasil e São Paulo.
  • Vegetação acicufoliada (folhas em formato de agulhas)
  • Pinheiro-do-pará (vegetação predominante).
                                            Fonte: http://matadasaraucarias.blogspot.com.br/

2) FORMAÇÕES NÃO FLORESTAIS
A) Cerrado
  • Segundo maior bioma brasileiro, predominando na região centro-oeste.
  • Clima quente e períodos alternados de chuva e seca.
  • Vegetação: árvores esparsas, arbustos e gramíneas.
  • Árvores com caules tortuosas e raízes profundas.
  • Solo pobre, com grande concentração de alumínio.
  • Grande diversidade de espécies da fauna.
                                         Fonte: http://planetasustentavel.abril.com.br

Vegetações do bioma cerrado:
           Fonte: http://klebercaverna.blogspot.com.br


B) Caatinga
  • Bioma exclusivamente brasileiro.
  • Vegetação típica da região semiárida nordestina.
  • Vegetação xerófila (adaptada a climas secos e pouca quantidade de água)
  • Fauna: répteis, roedores, insetos, aracnídeos, etc.

                                          Fonte; http://www.bloguito.com.br

C) Campos (pampas)
  • Herbáceas, gramíneas e pequenos arbustos.
Fonte: http://www.mundoeducacao.com.br


3) FORMAÇÕES COMPLEXA E LITORÂNEA
A) Formação Complexa do Pantanal
  • Maior planície inundável do planeta.
  • Grande biodiversidade.
  • Localizado no sudoeste do Mato Grosso e oeste do Mato Grosso do Sul, também no Paraguai e Bolívia.
Fonte: http://www.mundoeducacao.com.br
B) Vegetação Litorânea
  • manguezais: comum no encontro das águas doces dos rios com o mar. 
  • Restingas: vegetação rasteira e coqueiros.
Manguezal
                                         Fonte:http://www.infoescola.com

Restinga
                                            Fonte: http://explorateurs-rivierie.blogspot.com.br



Grandes Biomas Brasileiros e a Retração da Vegetação Nativa pela Ação Antrópica.

Brasil Biomas
        Fonte http://conexaogeografia.hdfree.com.br/vegbras.htm

Brasil Retração da Vegetação Nativa

       Fonte: http://revistaescola.abril.com.br




Referências:
Geografia Soma, 3ª série, ensino médio e pré-vestibular, vol. I, ed. LOG

Site:
http://www.mataciliar.pr.gov.br
http://conexaogeografia.hdfree.com.br/vegbras.htm
http://www12.senado.gov.br
https://www.google.com.br
http://pt.wikipedia.org/wiki/
http://www.mundoeducacao.com.br


BIOGEOGRAFIA

Biogeografia: é o estudo da organização espacial dos seres vivos.
Vegetação: conjunto de plantas nativas que se encontram em uma determinada área.


Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE:
"Ecossistema - Sistema integrado e auto-funcionante que consiste em interações dos elementos bióticos e abióticos e cujas dimensões podem variar consideravelmente."


"Bioma - Conjunto de vida (vegetal e animal) definida pelo agrupamento de tipos de vegetação contíguos e identificáveis na escala regional, com condições geoclimáticas similares e história compartilhada de mudanças, resultando em uma diversidade biológica própria."


Aspectos Climáticos e Vegetação
Os aspectos climáticos (umidade e temperatura) influenciam na formação vegetal:





Comparando os climas terrestres e os biomas terrestres:

Climas terrestres

    Fonte: http://www.citi.pt/citi_2005_trabs/antonio_carvalho/Climas.htm



Biomas terrestres

Fonte: http://professoralexeinowatzki.webnode.com.br


PAISAGENS NATURAIS:

1) FORMAÇÃO ARBÓREA: formação florestal
2) FORMAÇÃO ARBUSTIVA-HERBÁCEA: formação não florestal
3) FORMAÇÃO DESÉRTICA

1) FORMAÇÕES FLORESTAIS:

A) Floresta de Coníferas ou Boreais (Taiga)
  • Homogeneidade de coníferas
  • pouca diversidade
  • norte do Canadá, Europa, Ásia e Alasca.
  • Acicufoliadas (folhas pontiagudas) 
Fonte:http://www.centraliahs.org


B) Florestas Temperadas
  • Uma das mais dizimadas do planeta devido a sua localização.
  • Europa, América do Norte, Ásia e Austrália.
  • Médias latitudes.
  • Decíduas ou caducifólios (perdem as folhas no inverno)
                                                                         Fonte:http://www.sobiologia.com.br



C) Florestas Tropicais e Equatoriais
  • Vegetação diversificada
  • biodiversidade
  • Latifoliada (folhas largas e abertas)
  • Perene (reposição simultânea das folhas)
  • Equatoriais: comuns as hidrófitas (plantas que vivem dentro da água) e higrófitas (plantas adaptadas a áreas úmidas e alagadas)
                                                         Fonte:http://www.sobiologia.com.br


2) FORMAÇÕES NÃO FLORESTAIS:

A) Savanas (e cerrados)
  • Geralmente ocorrem nos limites de florestas equatoriais e tropicais.
  • Solo pobre e presença de arbustos e gramíneas.
  • Brasil => cerrado (troncos retorcidos e raízes profundas) e caatinga (longos períodos de seca).

Fonte:http://www.sobiologia.com.br

B) Campos
  • Regiões temperadas.
  • Solos férteis.
  • Herbáceas e gramíneas.
  • Argentina (pampas); EUA e Canadá (pradarias) e África (estepes).
                                         Fonte:http://edicleiadalcortivo.blogspot.com.br/

C) Tundra
  • Presentes em áreas congeladas e nos cumes de altas montanhas.
  • Musgos e líquens.
  • Solos permafrost (solos congelados)
                                         Fonte:http://www.schmoker.org

D) Chaparral
  •  Vegetação Mediterrânea de bosques e arbustos.
                                         Fonte:http://www.jmarcano.com/nociones/bioma/chaparral.html

3) FORMAÇÕES DESÉRTICAS:

A) Desertos
  • Baixa pluviosidade
  • desertos quentes e frios
  • vegetação xerófilas (plantas adaptadas a umidade insuficiente)
  • decíduas e caducifólias (perdem folhas em determinada estação do ano)
Deserto quente: Saara/África

Deserto frio: Patagônia/Argentina


Referências:

Geografia soma, 3a série, ensino médio e pré-vestibular, vol. I, ed. LOG






terça-feira, 19 de junho de 2012

QUESTÕES AMBIENTAIS E O CLIMA

Nos tempos de globalização...
Preservação ambiental é um elemento importante no âmbito internacional, inclusive nas negociações comerciais.


Problemas ambientais relacionados ao clima: os que mais contribuem para o agravamento são os países centro do capitalismo mundial.


EFEITO ESTUFA
Fenômeno natural: ação bloqueadora dos gases da atmosfera sobre o calor refletido da superfície da Terra. 
Responsável pela manutenção da temperatura do planeta.

Onde está o problema?
Potencialização do aquecimento natural a partir da Revolução Industrial (séc. XIX).
Liberação de CO2: combustíveis fósseis (indústrias e usinas), queimadas, urbanização, automóveis.

Gases do efeito estufa
Conseqüências?
Aquecimento global, alterações climáticas (temperaturas médias terrestres.)

A CAMADA DE OZÔNIO

Localização: estratosfera, possuindo aproximadamente 15km de espessura.
destruição do ozônio provocado pela reação química desse gás com clorofluorcarbonetos (CFC).
CFCs: liberados por aerossóis, aparelhos de ar condicionado, plásticos, refrigerantes.

INVERSÃO TÉRMICA
Fenômeno natural: rápido aquecimento e resfriamento da superfície em alguns locais.
É agravado nos grandes centros urbanos devido à presença de poluentes como o gás carbônico.


ILHAS DE CALOR
CHUVAS ÁCIDAS
Principalmente ácido sulfúrico e ácido nítrico: queima de combustíveis fósseis.
Diluem-se no vapor da água contida na atmosfera.
São transportados pelo vento, ocorrendo longe do centro poluidor.


Consequências:
destruição de monumentos históricos; 
acidificação de lagos e rios; 
eliminação de formas de vida aquáticas;
destruição da vegetação; aumento da acidez do solo.

Referências:
Geografia Soma, 3ª série, ensino médio e pré-vestibular, vol. I, ed. LOG
Imagens google.

Sites:
http://www.cpc.ncep.noaa.gov/products/analysis_monitoring/ensocycle/ensocycle.shtml
http://pt.wikipedia.org/wiki/




segunda-feira, 11 de junho de 2012

ÁREAS CLIMÁTICAS

ÁREAS CLIMÁTICAS DO GLOBO
Zona Quente: Clima Equatorial; Clima Tropical (de monção, úmido e seco) e Clima
Desértico.
Zona Temperada: Clima subtropical húmido, Clima Mediterrânico; Clima Marítimo ou
Oceânico e Clima Continental.
Zona Fria: Clima Continental ou Subpolar e Clima Polar. Os climas de altitude não
acompanham a distribuição latitudinal dos climas.






CLIMAS DO BRASIL


Clima Subtropical: presente na região sul dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Verões quentes e úmidos e invernos frios e secos. Chove muito nos meses de novembro à março.  As temperaturas médias ficam em torno de 20º C. Recebe influência, principalmente no inverno, das massas de ar frias vindas da Antártida.

Clima Semi-árido: presente, principalmente, no sertão nordestino, caracteriza-se pela baixa umidade e pouquíssima quantidade de chuvas. As temperaturas são altas durante quase todo o ano.

Clima Equatorial: encontra-se na região da Amazônia. As temperaturas são elevadas durante quase todo o ano. Chuvas em grande quantidade.

Clima Tropical: temperaturas elevadas (média anual por volta de 20°C), presença de umidade e índice de chuvas de médio a elevado.

Clima Tropical de altitude: ocorre principalmente nas regiões serranas do Espirito Santo, Rio de Janeiro e Serra da Mantiqueira. As temperatura médias variam de 15 a 21º C. As chuvas de verão são intensas e no inverno sofre a influência das massas de ar frias vindas pela Oceano Atlântico. 

Clima Tropical Atlântico (tropical úmido): presente, principalmente, nas regiões litorâneas do Sudeste, apresenta grande influência da umidade vinda do Oceano Atlântico. As temperaturas são elevadas no verão (podendo atingir até 40°C) e amenas no inverno (média de 20º C). 




quarta-feira, 6 de junho de 2012

ELEMENTOS DO CLIMA

CIRCULAÇÃO ATMOSFÉRICA
Pressão Atmosférica: é a força causada pelo ar sobre a superfície terrestre.
Fatores que influenciam na pressão atmosférica:
  • Latitude: menor latitude / menor pressão
  • Altitude: maior altitude / menor pressão


  • Temperatura: alta temperatura / baixa pressão
Ventos: ar em movimento; ocorrem em determinadas partes da atmosfera com a movimentação do ar, ocasionados pela diferença de pressão atmosférica decorrentes de alterações de temperatura.

Correntes: 

TIPOS DE VENTOS:
  • Massas de ar: grande bolsão de ar com características próprias de pressão, temperatura e umidade.

As massas de ar são úmidas quando formadas sobre áreas marinhas, e secas quando formadas sobre áreas continentais.

Massas de ar no Brasil:

mEc (massa equatorial continental) = quente com elevada umidade devido aos rios da Amazônia.
mEa (massa equatorial atlântica) = quente e úmida
mTc (massa tropical continental) = quente e seca
mTa (massa tropical atlântica) = quente e úmida
mPa (massa polar atlântica) = fria e úmida

  • Frentes: áreas de transição ou contato entre duas massas de ar de características distintas.
  • Ventos alísios: são ventos dos trópicos (anticiclonais) para áreas equatoriais (ciclonais).

  • Ventos periódicos: 
    • Monção: de verão e de inverno

    • Brisas: marítima e terrestre


    • Furacões e Tornados

Referências:
Penna, Maria Conceição M. Geografia 3a série ensino médio: vol 1. Belo Horizonte: LOG, 2010

Sites: 











ELEMENTOS DO CLIMA

PRECIPITAÇÕES
Tipos de Chuvas



1) Chuva Convectiva: Chuvas violentas e abundantes ("chuvas de verão"); frequentes nas regiões tropicais e equatoriais. Ocorre pela ascensão (convecção) do ar aquecido pelo sol.

2) Chuva Frontal: Chuvas típicas do inverno brasileiro e frequentes em países de clima temperados, são menos intensa e de longa duração. Normalmente vem acompanhada com a redução de temperatura, e é causada pelo choque de duas massas de ar de temperatura e umidade diferentes. 

3) Chuva orográfica ou de relevo: Ocorre devido a subida forçada do ar ao deparar-se com uma barreira orográfica (relevo montanhoso).

Fatores que explicam a distribuição da precipitação na Terra
  • Latitude: Menor precipitação onde existe alta pressão. (Trópicos e pólos). Maior precipitação onde existe baixa pressão (equador e latitudes médias).

  • Altitude: maior a altitude, maior a precipitação.
  • Exposição do relevo: dependendo da localização das vertentes, o ar será mais úmido ou seco.
  • Continentalidade ou Maritimidade.

  • Correntes marítimas: as correntes quentes tendem a aumentarem a umidade e provocarem mais chuvas.

Referências:
Penna, Maria Conceição M. Geografia 3a série ensino médio: vol 1. Belo Horizonte: LOG, 2010